Histórico

Os anos 60 e 70 foram muito férteis no desenvolvimento do mercado brasileiro. No início da década de 1970, a produção de filmes publicitários nacionais já era tão grande que havia a real necessidade desse segmento se estruturar sob o guarda-chuva de uma associação. Por esse motivo, em 1973 nasce a APRO, criada com a missão de aglutinar e defender os interesses das produtoras, fomentar o setor, além de capacitar seus associados para as melhores práticas de mercado.

A APRO participa ativamente de discussões em prol da consolidação do mercado audiovisual brasileiro. Entre os principais interlocutores da entidade, estão:

Agência Nacional de Cinema – Ancine

Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC

Ministério da Cultura (MinC)

Ministério das Relações Exteriores – MRE

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae

Além do contato constante com o Poder Público, que gerou grandes conquistas para o setor, a APRO também mantém proximidade com as entidades de classe e sindicatos ligados ao setor audiovisual:

ABA (Associação Brasileira dos Anunciantes)

ABAP (Associação Brasileira de Agências de Publicidade)

APROSOM (Associação Brasileira das Produtoras de Fonogramas Publicitários)

BRAVI (Brasil Audiovisual Independente)

Siaesp (Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo)

SICAV (Sindicato Interestadual da Indústria Audiovisual)

Mercado Atual

Nessas últimas 4 décadas, a APRO acompanhou e contribuiu largamente para a evolução do setor. Com isso, tornou-se fonte para coleta de dados importantes, seja fazendo seus próprios levantamentos ou consolidando dados coletados pela Ancine ou outros órgãos reguladores.

Confira abaixo um panorama do mercado audiovisual atual:

A indústria audiovisual apresentou um crescimento médio anual de 9,7% entre os anos de 2010 e 2015, atingindo um valor superior a R$ 43 bilhões.

O setor do audiovisual foi responsável por 0,50% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, chegando a movimentar no ano de 2015 em torno de R$ 25,49 bilhões na economia brasileira.

Foi responsável pela geração direta de 98,7 mil empregos formais e 107,6 mil empregos indiretos em 2014.

* Dados do estudo “Mapeamento e Impacto Econômico do Setor Audiovisual no Brasil”, realizado pela Fundação Dom Cabral e encomendado pelo Sebrae e pela APRO

Gestão

Presidência

Presidente do Conselho


Paulo Roberto Schmidt

Diretoria

Diretora Executiva


Sonia Regina Piassa

Conselho Administrativo

Alex Mehedff
Hungry Man
Eduardo Tibiriçá
Bossa Nova Films
Egisto Betti
Paranoid
Francesco Civita
Prodigo Films
João Daniel Tikhominoff
Mixer Films
Julia Tavares
Killers
Leyla Fernandes
Honey Bunny
Marcelo Altschuler
Saigon Filmes
Mario Peixoto
Delicatesen Filmes
Paulo Roberto Schmidt
Academia de Filmes
Raul Dória
Cine Cinematográfica
Rejane Back Bicca
O2 Filmes
Renata Brandão
Conspiração Filmes
Sergio Salles
Vetor Zero

Suplentes

Alberto Lopes de Oliveira Junior
Vetor Zero
Carol Pessini
Saigon Filmes
Chico Pedreira
Prodigo Filmes
Hugo Mattos Janeba
Mixer Fims
José Renato Ordine
Paranoid
Luciana Mattar
Conspiração
Mayra Auad
Yourmama Films
Norma dos Santos
Killers
Renata Correa
Hungry Man
Sandra Maria Othon Teixeira
Bossa Nova Films

Equipe

Copa


Camila Diniz

Gerente Comunicação e Marketing


Edianez Parente

Gerente Plataforma FilmBrazil


Marianna Souza

Jurídico


Mateus Basso

Gerente Plataforma Objetiva


Odete Cruz

Gerente Financeiro


Paula Sanches

Administrativo


Solange Prado